Sobre o Blog

Examinando Pixels é a versão em português do blog Perusing Pixels, um diário fotográfico da jornada da jogadora Twin Pistols através da série de jogos Tomb Raider. Use os links à direita para encontrar um jogo ou fase em particular, ou veja abaixo o último post.

Siga @PerusingPixels no Twitter e/ou curta a página do Facebook para atualizações do blog original e outras coisas relacionadas a Tomb Raider.

Sunday, January 8, 2012

Lost Valley

Alegrem-se, caros leitores (nenhum de vocês)! Eu achava que meus planos de completar a fase Lost Valley seriam eternamente frustrados devido a save-games corruptos e à incapacidade do Windows Vista de rodar jogos de DOS.
Então, a Eidos, em toda sua sabedoria, lançou “Tomb Raider: The Greatest Raids”, uma compilação dos quatro primeiros Tomb Raiders feitos, compátivel com o Vista! Eu ganhei a compilação em meu aniversário (ei, eu não posso me dar ao luxo de comprá-la eu mesma) e agora posso finalmente continuar minha excursão pelo Peru.



Nós começamos como de costume, em uma sala forrada com a textura de pedra azul-cinza. Nada por aqui sugere que Lost Valley será a fase mais assustadora até o momento; o que poderia superar o terror dos dois ursos de Vilcabamba? 



É em momentos como este que eu queria que eles tivessem posto uma arma de arpão em Tomb Raider 1. Estes lobos são uma chatice de se matar, e foi preciso três tentativas antes deles finalmente morrerem.



O nome desta fase sugere que existe um vale perdido em algum lugar desta caverna, e sendo uma criança, eu estava convencida que esse vale devia estar atrás desta cachoeira. Quero dizer, aonde mais um Inca que se prezasse iria colocá-lo? 



Oh sim, não atrás de uma cachoeira. Em vez disso, escondido atrás de algumas pedras, em uma pequena alcova amontoada de lobos. Este esqueleto deveria ser mais que suficiente para sinalizar perigo à frente, embora ele pelo menos tenha um medi-pack grande disponível para quem quiser pegar. Até hoje, eu não consigo passar por um esqueleto em decomposição repousando em uma tumba sem ter uma sensação de mau agouro. 



Eu achava que estava em um lugar seguro para dar uma olhada no vale, mas eu acho que estava errada. Este velociraptor atrevido apareceu do nada no momento em que a Lara tocou a grama.



Eu incluí esta foto porque ela é simplesmente incrível. Eles parecem uma dupla de dança horizontal ou um casal com problemas conjugais deitado na cama (N.T.: Como não fazia idéia do que se tratava uma “dança horizontal”, eu dei uma pesquisada e achei este vídeo, que ilustra essa “modalidade” bizarra de dança).



E aqui está o T-Rex, em sua primeira aparição em Tomb Raider. O T-Rex aparece em um monte de lugares na série Tomb Raider, incluindo a China e o Pacífico Sul, mas ele foi primeiramente avistado no Peru.



Obviamente, fazer a Lara ser jogada para todos os lados por um T-Rex nervoso não faz você avançar nesta fase, mas resulta em uma bela montagem de fotos.



O propósito desta fase é descobrir a localização de três rodas dentadas, que serão encaixadas em um mecanismo próximo ao início da fase. Apesar de não ter jogado TR por uns bons anos, eu ainda me lembro da localização de todas as rodas dentadas. Pra ser honesta, eu estou na expectativa das fases mais tardias, nas quais eu não me lembro exatamente o que fazer. 



A Lara não era uma vista linda em 96? Sério, eu não consigo entender como as pessoas desejavam isso. Ela fica mais bonita em TR 2 e 3, apenas pra ter sua beleza estragada em TR 4 e 5. Vieram os jogos da próxima geração e... Não, na verdade, ela ainda não é lá muito bonita. Delineador demais. Contudo, são os peitos artificiais balançando que contam, huh?



Esta é a construção mais bonita da fase inteira, e ela me lembra de monte a Índia e o Pacífico Sul, em Tomb Raider III. 



E olha só, dentro da construção está outra roda dentada! Junto com alguns velociraptors, é claro. Mas eles não conseguem nadar. Eu nunca notei isso em Tomb Raider antes, mas Lara aparenta estar segurando seu fôlego embaixo d’água. Isto é meio que legal.



A última roda dentada se encontra do outro lado da ponte quebrada sobre o vale. Eu notei como todas as rodas dentadas estão localizadas em ao menos um quadrado da mesma textura. Como se elas estivessem infectando o próprio solo em que se encontram.



Aqui está o mecanismo de rodas dentadas, que deveria ser usado para direcionar o fluxo do rio abaixo. Outra vez com aquelas medidas de segurança complicadas.



Em primeiro lugar, porém, eu me senti obrigada a explorar esse túnel, do qual eu não tinha nenhuma recordação de jamais ter explorado antes. Eu estava genuinamente empolgada!



Porém, tudo que estava esperando por mim, no fim do túnel tortuoso, era um buraco no teto e uma cara de pedra me mostrando a língua por eu ter perdido o meu tempo. Não, não havia sequer um medi-pack.



Aborrecida, eu voltei ao mecanismo de rodas dentadas e o fiz funcionar. A porta dourada que estava no início daquele túnel inútil tinha se movido, direcionando o fluxo da água para a direção oposta do lago que eu tinha encontrado antes. O que significava que o túnel inútil agora estava alagado!



O homem de pedra não pôde fazer nada conforme eu nadei por ele e subi por aquele cobiçado buraco no teto. O primeiro round é meu, pedra.



Cartuchos de espingarda e um medi-pack! Tendo apenas um medi-pack (por ter usado truques da primeira fase até chegar aqui, após eu ter que desinstalar meu Tomb Raider original e perder todos os meus save-games), eu fiquei feliz em vê-los.



Em uma nota à parte, dá uma olhada neste cara. De que diabos ele morreu? Eu consigo entender esqueletos próximos aos dinossauros, mas ao lado de um rio? 



A cachoeira no começo tinha mesmo algo atrás dela, afinal de contas! Eu sabia que aqueles habitantes de Vilcabamba não desperdiçariam uma boa cachoeira.



Um segredo?! Eu deveria ter explorado mais, mas tendo jogado essa fase umas cinquenta vezes, eu estava bem cheia dela. 
A seguir: Pedras que rolam! Fossos de espinhos! Uma tumba de verdade! Um ser humano vivo e respirando que não é a Lara!

1 comment:

  1. Por mais que sejam fases antigas, se tratam dos clássicos e os comentários agora traduzidos por você Lodair faz todo o trabalho da Daisy fazer sentido também para nós que falamos português :)

    Valeu cara e não pare não valeu? :D

    ReplyDelete