Sobre o Blog

Examinando Pixels é a versão em português do blog Perusing Pixels, um diário fotográfico da jornada da jogadora Twin Pistols através da série de jogos Tomb Raider. Use os links à direita para encontrar um jogo ou fase em particular, ou veja abaixo o último post.

Siga @PerusingPixels no Twitter e/ou curta a página do Facebook para atualizações do blog original e outras coisas relacionadas a Tomb Raider.

Saturday, February 25, 2012

The Deck

Primeiro de tudo, Feliz Ano Novo para todos! Eu espero que vocês todos tenham aproveitado a época festiva e estejam prontos para um 2012 lotado de Tomb Raider (N.T.: este post foi originalmente publicado no início de Janeiro de 2012).

De qualquer maneira, eu divago;

Nós conseguimos! É isso aí! Estoure o champanhe (ou a bebida comemorativa de sua escolha (eu ficarei com o uísque))!

Sim, é hora de dizer adeus ao leito oceânico e fazer nosso caminho de volta para o sol. Ah, após termos jogados a fase The Deck. Que foi, você sabe né. Meio labiríntica. Portas demais. A experiência padrão de Tomb Raider.

Recapitulando a história: Lara AINDA ESTÁ NO FUNDO DO MALDITO MAR.



O começo da fase. Pelo menos desta vez nós não estamos debaixo d’água.



Esta é porta pela qual você saiu da última fase, que foi magicamente transformada em uma parede sólida, com uma janela pintada sobre ela. Tem algo assustador rolando nesta fase, e eu só consigo creditar isso à presença do Seraph (ah, spoiler, esta é a fase em que você finalmente encontra o Seraph).



O convés, igual ao nome da fase, O Convés. Alguém mais acha que “O Convés” parece o nome de um filme de terror de baixo orçamento?



Eu acho que Lara deve ter acidentalmente se matriculado em ginástica super-avançada, sem tomar as lições básicas primeiro. Esta é a razão pela qual ela não consegue rastejar ou se espremer através de aberturas levemente estreitas, mas consegue alegremente dar várias cambalhotas enquanto está mergulhando.



A caverna enorme com um bote no meio! Eu gosto desta sala, embora ela não seja tão imponente quanto eu originalmente me lembrava dela ser. Ainda assim, é mais um exemplo de como a draw distance limitada pode tornar as coisas atmosféricas.



Lara decide que esta seção em particular da parede é perigosa, e que provavelmente deveria atirar nela. É a loucura oceânica!



O que... aquilo é... aquilo é um segredo espreitando por trás daquela densa floresta de alga marinha? Uau, incrivelmente bem escondido. Vamos lá, Core, nos dê uma chance.



Que diabos de textura é esta? Parece que você seria capaz de atravessá-la direto e ir parar em alguma espécie de submundo. Eu culpo o Seraph e suas habilidades de alteração das leis da física. Janelas onde deveria haver portas, portais para outro universo onde deveria haver aço...



O lança-granadas tem estado à toa no meu inventário por várias fases, e eu decidi que é hora de me divertir um pouco com ele.

Aqui está o capanga nº 649, segurando sua enorme chave inglesa, e parecendo bastante blasé em relação ao fato que ele está prestes a tentar te matar.



“Que bizarro. Ao que parece, os meus membros não estão mais conectados ao meu torso, como eles estavam momentos atrás.”



“Sim, eu definitivamente me tornei vítima de um desmembramento violento e explosivo. Que cansativo.”



O que são todas estas coisas azuis esquisitas pipocando ao redor da tela? Sério, eu não me lembro de nada disso. Deve ser o equivalente em video-games daquelas esferas luminosas que aparecem em fotografias, aquelas que programas de TV sobre caçadores de fantasmas concluem que são fantasmas. Então, aparentemente, a minha cópia de Tomb Raider II está assombrada. Uhúl.



“Antes de continuar, agradeça por um momento por você não trabalhar para Marco Bartoli, guardando uma estátua em uma piscina, no fundo do oceano.” - Stella, em seu detonado desta fase. Não que eu estivesse o lendo ou algo assim.



Finalmente, finalmente, Lara encontra o Seraph, o que desencadeia o final da fase, e nossa deixa para sair deste pesadelo azul-e-laranja.



Sim, é o fim. Eu realmente não consigo pensar em nada particularmente conclusivo para dizer.



Ah, não importa. De qualquer maneira, é um post bônus de fotos do FMV!



Lara fica euforicamente distraída ao avistar uma velha jaqueta deixada para trás, no hidroavião que ela está pilotando. Não é de se admirar que ela acabe batendo.

Tendo (finalmente) descoberto o Seraph, Lara prossegue de volta à superfície do mar, sequestra o hidroavião de Bartoli e parte para o Tibete, colocando uma nova roupa apropriada para o clima no caminho. Ela eventualmente bate o avião, mas como já está no Tibete, isto particularmente não importa. 

Da próxima vez: O céu! O céu! O CÉU!!!

No comments:

Post a Comment