Sobre o Blog

Examinando Pixels é a versão em português do blog Perusing Pixels, um diário fotográfico da jornada da jogadora Twin Pistols através da série de jogos Tomb Raider. Use os links à direita para encontrar um jogo ou fase em particular, ou veja abaixo o último post.

Siga @PerusingPixels no Twitter e/ou curta a página do Facebook para atualizações do blog original e outras coisas relacionadas a Tomb Raider.

Thursday, March 1, 2012

Barkhang Monastery

Ah, o enigma que é a fase Barkhang Monastery; tão bonita, porém tão horrivelmente longa. Eu peço perdão pela minha ausência de um mês, mas eu posso te assegurar que passei a maior parte deste tempo (pondo ou tirando uns 28 dias) tentando achar a saída desta fase. Finalmente, eu escapei deste pesadelo infestado de monges e armadilhas, para te trazer uma série de screenshots acompanhadas por comentários vagamente insultantes. Que não é menos do que esta fase merece (N.T.: Este post foi originalmente publicado um mês após o post anterior).

Após fazer seu caminho pelos sopés tibetanos, Lara encontra o que estava procurando; o monastério isolado descrito a ela pelo falecido Irmão Barkhang.



Aquele alegre corredor, que finalizou a fase anterior, foi imerso em escuridão, o que certamente acabou com o meu bom humor.



Durante toda a extensão da fase, Lara é forçada a auxiliar os amigáveis monges a defender o monastério contra os homens de Bartoli; o leve incômodo sendo que os próprios monges continuam a ser alvos viáveis para a mira automática, e tendem a ficar bem putos se Lara mata alguns deles sem querer.



Ah, qual é Lara, isto não é sequer uma porta. São só uns pedaços de papelão barato presos com grampos e cola bastão. Aquele espaço em cima é grande o suficiente para até mesmo sua tia baleia se espremer por ele. Uma brisa gentil seria suficiente para abrir esta coisa, então por que diabos você precisa de uma chave?



Falando de fechaduras, esta daqui era bastante assustadora.



Ei, então aqui estão as rodas de oração que Alex West roubou da Lara falsa do filme. Levando em consideração quantas dessas coisas existem, eu estou surpresa que ela tenha ficado tão irritada.


Outro ótimo exemplo do limite atmosférico da draw distance:


Pfff, quem precisa de gráficos bons e capacidades altamente tecnólogicas?



Uma foto com um ângulo estranho, de Lara dando um giro no meio do ar. Isto me lembra demais da coisa-que-não-deve-ser-nomeada, que eu não nomearei aqui, por não querer ser responsável por arruinar as vidas das pessoas, notificando-as da existência dela. Então provavelmente foi uma perda de tempo eu mencioná-la. Desconsidere estas duas últimas sentenças e apenas aprecie a foto estranha, se puder. 

Eu não posso. Jamais poderei.



Eu acho que isto está um nível acima daquela coisa de caminhar sobre carvões em brasa, que as pessoas conseguem fazer quando meditaram bastante. ‘Não ser horrivelmente multilado ao andar através de lâminas cortantes’ é, aparentemente, um simples caso da mente dominar a matéria.



Eis a razão pela qual eu adiei jogar esta fase por aproximadamente três semanas. Até onde eu me lembro, Temple of Xian está cheia de armadilhas como estas, de parede de espinhos a parede de espinhos, então eu não alimentaria esperanças de eu chegar a Tomb Raider III.



Eu acho que esta foi a única vez que os cultistas apareceram sem ter vários monges no encalce deles, mas qualquer conveniência concedida pela situação foi imediatamente anulada pelo grande número deles. Bem, havia quatro, mas em um corredor pequeno, com apenas alguns pentes de Uzi e a M16 (se é que isto conta) para me proteger, quatro era demais.



Outra viagem gráfica psicodélica provocada pelo Seraph. Eu ficarei feliz quando estiver livre desta coisa maldita.



Em cima dos telhados do monastério, as coisas começaram a ficar bonitas novamente. Olhe estas adoráveis estátuas de ouro de... cabras? Lhamas? Alpacas? (Stella não se arrisca, e as chama de “animais”).



O que quer que isto seja, também é bonito de se olhar.



Ah, olha só, o diamante de save da versão de consoles de Tomb Raider I está de volta, para uma aparição especial como a “gemstone” (gema). Isto foi antes dele se reinventar (isto é, se tornar verde) e voltar à cena como o cristal de saúde, em Tomb Raider III. Então é claro, ele foi escolhido pela Maxis para ser o PlumbBob e, bem, você sabe o resto...



É pra gente acreditar que esta gemstone aqui é a mesma da foto anterior?!



Ninguém, absolutamente ninguém, passa dez minutos empurrando blocos somente para conseguir alguns arpões. Este tipo de coisa deveria ser ilegal.



Finalmente, nós podemos dizer adeus àquele Seraph amaldiçoado, e continuar nossa jornada junto às texturas, do jeito planejado pela Core Design.



Nós terminamos do mesmo jeito que começamos, encarando o terror em seu estado puro (expressado por meio de corredores).



Viu, eu te falei que levei bastante tempo. A propósito, os dois primeiros dígitos são “dias”.

No comments:

Post a Comment